1. Auto-avaliação

Pare e pense bem: está preparado para ser empresário? A resposta pode não ser imediata e simples, por isso elabore um guião de perguntas para o ajudar a tomar a melhor decisão e responda com a máxima sinceridade: Está disposto a correr riscos? A trabalhar sem horários e sem a segurança de uma remuneração fixa? Tem capital para abrir um negócio? Tem estabilidade emocional? É meticuloso e disciplinado? Tem noção das suas limitações? Estas e muitas outras questões vão ajudá-lo a fazer uma auto-análise da sua capacidade de empreendedorismo.

  1. Prós e contras

Não veja apenas o lado bom de ter o seu próprio negócio em franchising, como a possibilidade de abrir um negócio sem ter experiência empresarial ou no sector em causa, usar uma marca reconhecida, receber apoio da equipa do franchisador, ter acesso a formação inicial e contínua, beneficiar de acções de comunicação de âmbito nacional, utilizar técnicas de gestão testadas e oferecer preços competitivos. Preste também atenção à lista de desvantagens: desenvolver a sua empresa de acordo com as estratégias definidas pela marca; ter limites na sua actuação; possibilidade de fracassar; pagamento de royalties e taxa de publicidade.

  1. Informação

Sabe ao certo o que é o franchising, ou é apenas um conceito de que ouviu falar e acha que é o ideal para si? Antes de qualquer decisão, é fundamental recolher o máximo de informação sobre o sector e as oportunidades de franchising.

  1. Pré-selecção

Tendo em conta que poderá escolher de entre várias oportunidades de negócios em franchising, comece por definir o seu perfil de investidor: Qual o capital disponível? Pretende apostar no comércio ou nos serviços? Que sectores de actividade mais o atraem? Se definir estes parâmetros, estará já a diminuir o leque de opções e a facilitar a escolha. No que diz respeito ao investimento inicial, é aconselhável que tenha pelo menos 30% a 50% de capitais próprios, bem como algum fundo de maneio para os primeiros tempos de actividade.

  1. Análise do mercado

Chegado a este ponto já percorreu um grande caminho para se tornar franchisado, mas ainda faltam alguns passos importantes para concluir o processo com êxito. Neste momento, é tempo de levar a cabo um estudo detalhado do negócio e do mercado onde pretende desenvolver a sua actividade: avalie o prestígio das marcas que seleccionou; estude a concorrência e defina quem é o público-alvo; escolha o melhor local e avalie o potencial de vendas da zona. Pode contar com a ajuda de consultoras especializadas em franchising.

  1. Análise do franchisador

Com os “trabalhos de casa” concluídos, é hora de partir para a ação. Pegue no telefone e inicie os contactos directos com os franchisadores ou masters das marcas que lhe interessam. Peça informações detalhadas, marque reuniões e visite os seus stands em feiras. É crucial que não fique nenhuma dúvida por responder: história da marca, quem são os sócios, estrutura humana, solidez financeira, experiência em franchising, estratégia de expansão para os próximos cinco anos, etc. Fale também com outros franchisados da rede, para saber as suas opiniões.

  1. Negociação do contrato

Se ainda mantém a mesma determinação em ter o seu negócio em franchising, este é o momento em que terá de prestar muita atenção aos mais ínfimos pormenores: analise com cuidado os números apresentados pelo franchisador. Não hesite em consultar um advogado especializado em franchising para o ajudar nas negociações e a decifrar as cláusulas negociáveis. Saiba que pode sempre assinar um pré- contrato antes do definitivo.

Leave a comment