Na hora de definir os preços para os produtos ou serviços da sua empresa é fácil cair na tentação de tentar maximizar os lucros até ao limite. O problema é que os seus clientes podem reagir mal a preços demasiado inflacionados e a sua estratégia ter o efeito contrário ao desejado. Da mesma forma, estabelecer preços muito abaixo da média do mercado, para atrair a atenção dos consumidores e gerar grandes vendas, pode causar suspeita em relação à qualidade dos produtos.

Revelamos algumas dicas para evitar os erros mais comuns na hora de escolher o melhor valor para vender os seus produtos.

1. Tenha em conta todas as variáveis

Um dos maiores desafios das pequenas e médias empresas passa pela definição dos preços. Muitas vezes por desconhecimento, os empreendedores mais inexperientes não contabilizam os gastos da sua própria produção e acabam por ter em conta apenas os valores da concorrência. Para começar, saiba que pode definir os seus próprios preços com base nas despesas de produção, ou com base no mercado e nos clientes, sendo ideal conjugar todos estes factores.

2. Calcule os custos fixos e variáveis

Para obter preços adequados à realidade do mercado em que se insere é importante contabilizar todos os custos envolvidos na produção, tanto os fixos (rendas, salários, peças e materiais, etc.) como os variáveis (pagamentos a fornecedores e todas as despesas que variam consoante as vendas).

3. Defina o seu público-alvo

Trace o perfil dos seus consumidores: idade, sexo, habilitações literárias, poder de compra, e a partir daí estabeleça um limite máximo para o preço a cobrar. Se optar por um segmento mais elevado, poderá cobrar mais por unidade mas venderá em menor quantidade; se baixar o preço e apontar baterias para um mercado massificado, venderá mais mas poderá lucrar menos.

4. Defina uma postura face à concorrência

Com uma ideia inicial de preço em vista, avalie a sua postura face à concorrência: quer distanciar-se ou seguir de perto as tendências de preços dos seus rivais? Uma coisa é certa: deve estar sempre muito atento à concorrência mas não deve basear a sua estratégia de preços unicamente nesse factor. Faça uma média dos preços e verifique se os seus valores são realistas face ao mercado.

5. Aproveite as oportunidades

Muitas vezes, os consumidores até estão dispostos a pagar um preço mais elevado pelos seus produtos. Saiba antecipar essas ocasiões e aproveite a oportunidade. Faça estudos de mercado regulares para saber qual o valor que os seus clientes consideram justo para os produtos ou serviços que oferece. Aposte na diferenciação e no desenvolvimento qualitativo dos seus produtos, e comunique-o aos seus clientes.

6. Aumentar preços: sim ou não?

À medida que aumenta a qualidade dos seus produtos e também os custos de produção dos mesmos, poderá ser necessário reajustar a sua tabela de preços. Não tenha medo de fazer aumentos, mas também não exagere nas margens de lucro. A melhor estratégia é fazer pequenos aumentos regularmente: dois aumentos de 5% diferidos no tempo são melhores do que um aumento de 10% feito de uma só vez.

Leave a comment